Literacia financeira – um desígnio nacional

admin/ Julho 12, 2018/ Notícias/ 0 comments

Portugal continua na cauda da Europa relativamente a conhecimentos financeiros, ou de uma forma mais simples à gestão do dinheiro.

Apeser de diariamente sermos invadidos por termos de “economês”, muitas pessoas não entendem ainda grande parte dos conceitos relacionados com economia e finanças.

O baixo nível de conhecimentos reflete-se não só nos comportamentos de poupança (que obviamente são também afectados pelos baixos rendimentos), mas sobretudo o perfil de poupança é demasiado conservador (maioritariamente em depósitos a prazo, o que nos dias de hoje e considerando as taxas de juro praticadas e os impostos aplicados aos parcos rendimentos, praticamente não cobre a inflação.

Desde a crise de 2008, a correta gestão dos recursos disponíveis, sobretudo numa altura de grande incerteza e instabilidade (desemprego, baixos salários,  taxas de juro a rondar os 0%), deveria ter levado o estado e todos nós a melhorar os conhecimentos de como gerir o nosso dinheiro.

Uma grande parte da população contraiu um empréstimo no banco para adquirir casa (Portugal é dos países com maior percentagem de habitantes com casa própria). No entanto, muita gente não faz ideia do que é o spread, ou a Euribor, ou MTIC.

Não entender estes conceitos básicos que servem de base a empréstimos que tem uma duração tão longa (em média 30 anos), sendo dessa forma uma das decisões mais importantes que se toma na vida e que mais impactam as finanças pessoais, é meio caminho andado para que as coisas corram mal.

Por outro lado, actualmente, a quantidade de instrumentos financeiros ao nosso dispor é de tal forma vasta que, para quem tiver um mínimo entendimento de como estes funcionam, pode conseguir rentabilidades interessantes, que não apenas os depósitos a prazo.

Desde fundos de investimento, obrigações, ETF’s, que são produtos tradicionais da banca, até aos mais recentes P2P, cryptomoedas, plataformas de investimento imobiliário, a dificuldade está na escolha. Mas se não entendermos os conceitos básicos, como faremos uma escolha informada?

É por isso crucial que todo nós saibamos melhor o que é o dinheiro, como se cria e de que forma o podemos gerir corretamente e o objetivo deste blog é precisamente ajudar a desmistificar alguns mitos e explicar numa linguagem simples e clara os vários termos de “economês” que afetam a nossa vida.

 

 

 

 

 

Share this Post

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>
*
*